Descubra o que atrapalha o tratamento da celulite

Muitas das mulheres que desejam acabar com a celulite procuram por uma resposta ilusória para a questão sobre qual seria o melhor método para eliminá-la.  Mas essa não é a melhor pergunta a ser feita. O que deve ser buscada é a sua causa, ou os motivos que poderiam agravá-la.

Veremos então qual é a razão das mulheres acumularem mais gordura especialmente nos membros inferiores e por que aparecem os furinhos e irregularidades que caracterizam a celulite.

 

 1. O estresse é fator primordial na causa ou piora da celulite

Há um grande número de pessoas que não têm sequer consciência do estresse que sofrem durante todos os dias. O ritmo acelerado da vida contemporânea e a quantidade enorme de estímulos que recebemos acabam por sobrecarregar a mente, resultando em um subconsciente hiperativo. As consequências são extremamente prejudiciais e estão longe do estado psíquico e emocional sadio: medo, desconforto, preocupação, irritação e desperdício de energia vital.

Adicionadas a isso tudo ainda estão as atribulações comuns do dia-a-dia, os acontecimentos corriqueiros da vida que não podemos evitar: o falecimento de um ente querido, a doença de um familiar, divórcio, problemas no trabalho, discussões familiares, etc.

Todos esses problemas citados, mesmo que às vezes pequenos, exercem influência direta nos níveis hormonais. O cortisol, a epinefrina e a ocitocina são exemplos de hormônios que são influenciados pelo estresse. Por serem substâncias essenciais ao regulamento do organismo, a falta de equilíbrio dos mesmos pode causar a alteração de características físicas importantes, como, por exemplo, a integridade celular.

A flutuação dos níveis hormonais, na qual ou as células são bombardeadas pelo excesso de substâncias ou sofrem pela falta delas, resultará em um corpo menos saudável, mesmo se os exercícios estão em dia e a nutrição está adequada. Os músculos e o tecido conectivo ficarão flácidos e fracos. A pele perde sustentação e a celulite aparece.

Portanto, estar atenta e procurar controlar o estresse são essenciais tanto para a saúde interna quanto para uma boa aparência física. Os resultados positivos valem à pena e uma vida sadia e longa está conectada a isso.

 

 2. Sono insuficiente ou a falta de sono

Um padrão de sono saudável possui um impacto significativo na regulação dos hormônios.  É exatamente enquanto dormimos que o corpo libera os hormônios de crescimento, que em indivíduos adultos auxiliam no vigor físico e na redução da flacidez muscular. Noites bem dormidas podem diminuir os resultados negativos de uma rotina com altos índices de estresse.

Entretanto, o contrário pode ter efeitos devastadores. Quando não há qualidade no sono, não importando o motivo, os hormônios afetarão negativamente o corpo, da mesma forma quando estamos sob a influência de grande estresse.

Além de ser agradável, dormir bem, influencia em nossas atividades quando estamos despertos. Uma boa noite de sono ajuda o organismo a funcionar em sua plena capacidade. Portanto, separe alguns minutos do seu dia, pense sobre seus hábitos de sono e faça anotações. Assim, você terá uma ideia real do que está errado e do que pode mudar.

 

 3. A influência de certos medicamentos

Todos sabem que existem alguns medicamentos que podem causar aumento de peso, como por exemplo: Paroxetina, Quetiapina e Olanzapina entre outros. Mas o fato do número na balança aumentar não é a pior consequência, já que essas substâncias não afetam as pessoas da mesma forma. É possível que os remédios influenciem na composição do corpo, e muitas vezes isso passa despercebido, já que quem estiver sob tratamento vai se pesar e observar que o peso não se altera. Apesar disso, o tônus muscular e a elasticidade da pele ficam comprometidos.

Qual o motivo do aumento da flacidez durante tratamentos com certos medicamentos?

A causa da flacidez agravada durante tratamentos medicamentosos é a mesma do estresse e da falta de sono: hormônios em desequilíbrio. A alteração hormonal vai resultar em uma mudança negativa na composição corporal, causando o enfraquecimento do músculo (que, em casos mais graves, leva à atrofia), flacidez mais visível e irregularidade na pele, com o aumento dos sulcos e fibroses.

Ao notar tais mudanças físicas, o mais adequado é relatar ao médico responsável pelo tratamento assim que os sintomas aparecerem, e não aguardar até que se tornem piores.

 

4. O desequilíbrio eletrolítico

A vida corrida muitas vezes nos impede de consumir em quantidade adequada todos os nutrientes necessários à boa saúde. O consumo excessivo de cafeína e de refeições pré-prontas, fast-food e comida congelada, todas cheias de conservantes e níveis de sódio além do ideal, são hábitos que geram desequilíbrio eletrolítico no corpo.

Os sintomas do desequilíbrio eletrolítico são:

  • Falta de energia (total, ou com picos durante o dia)
  • Humor instável
  • Mente confusa
  • Tensão nervosa
  • Impotência
  • Letargia
  • Baixa libido
  • Flacidez da pele e dos músculos
  • Incontinência
  • Granulações e ondulações na pele (celulite)

Manter as células do corpo propriamente hidratadas é a questão chave para que os eletrólitos atuem na elasticidade e uniformidade da pele. Estruturas celulares hidratadas funcionam perfeitamente, fazendo com que você adquira um aspecto bonito e saudável.

Hidratantes tópicos também são benéficos e importantes para uma pele sadia, mas eles só atuam na derme. Você não consegue hidratar seus músculos, tecidos conectivos, ou mesmo as camadas mais profundas da pele através de um agente externo. A hidratação efetiva deve ser feita internamente, por meio de eletrólitos bem regulados.

O que fazer?

A melhor coisa a se fazer é parar de utilizar sal de cozinha nos alimentos e substituí-lo pelo sal extraído diretamente do mar, chamado de sal marinho. Esse tipo de sal, por não passar pelo processo de refinamento do sal comum, mantém sua composição original, com minerais importantes para o organismo humano. Ele é natural e não faz mal à saúde, além de ajudar com os eletrólitos, que equilibram a hidratação corporal.

A dica é, quando for às compras, procure pelo sal não refinado e não processado. Leia as embalagens dos alimentos e prefira os mais saudáveis. As opções são muitas e estão crescendo cada vez mais. Várias empresas já perceberam um aumento da demanda por produtos que fazem bem ao organismo, e estão lançando alimentos com sal marinho ao invés do sal comum, que, além de ter uma concentração de sódio muito mais alta que o ideal, ainda é processado e refinado para ficar com a cor branca.

 

5. Exercícios inadequados

Naturalmente, exercitar-se (juntamente com uma alimentação adequada) é a única forma de eliminar a celulite de vez. Entretanto, exercícios inadequados podem piorá-la ou até mesmo não fazer nenhum efeito, o que pode ser muito frustrante e desanimador.

O que fazer?

Procure evitar excessos nos exercícios aeróbicos. Esse tipo de exercício pode ser prejudicial às mulheres que não precisam emagrecer ou que estão com somente algumas gordurinhas a mais, causando o esgotamento dos músculos.

Mas o que seria o esgotamento (ou desgaste) dos músculos?

Quando os músculos são estimulados com atividades de baixa intensidade por um período longo de tempo, o corpo começa a utilizar o próprio tecido muscular como combustível para gerar energia, o que causa a atrofia: os músculos ficam flácidos e sem força. Isso acontece também quando a intensidade do exercício é apenas moderada. Por falta de estímulos que tonifiquem e enrijeçam os músculos, a pele que está conectada a eles também se torna flácida. Aí que aparecem então os furinhos e o aspecto granuloso, característicos da celulite.

Para eliminar a celulite, baseie-se nessas dicas fundamentais sobre exercícios:

  • Não exagere nos exercícios aeróbicos. Faça apenas o necessário para manter a saúde cardiovascular e para melhorar os níveis de energia. A falta de moderação comprometerá seus músculos e poderá causar envelhecimento precoce.
  • Faça exercícios usando o peso do seu próprio corpo, com uma combinação movimentos em três dimensões. Esqueça os limitantes aparelhos de ginástica, procure realizar os movimentos que se baseiam na estrutura corporal e na força da gravidade. Foque na parte inferior do corpo: temos noventa músculos nas pernas, estimule todos eles, e não se esqueça do bumbum e dos quadris.
  • Não se esqueça que você não treina para se tornar uma halterofilista (a não ser que esse seja seu objetivo). Se você gostaria simplesmente de alcançar um corpo bem tonificado e firme, porém suave, pratique os exercícios citados acima com a duração e o número de repetições específicos para que os músculos influenciem a pele logo acima deles de forma positiva.

Por fim, lembre-se que equilíbrio anatômico proporcional é o que buscamos. Não se exceda nas repetições, no peso e nas atividades aeróbicas. Não queremos um treino destrutivo, que estimule o desenvolvimento exagerado de determinadas partes do corpo.

 

Como acabar com a celulite

[Total: 0    Média: 0/5]